Como você tem cuidado das pessoas? – utopiar

Como você tem cuidado das pessoas?

Existem muitas formas de cuidado. Quase sempre a intenção é boa - mas nem sempre o cuidado faz bem. Muitas vezes o tipo de cuidado que oferecemos não é o cuidado que a outra pessoa precisa ou deseja.

É preciso refletir (sempre) sobre o tipo de cuidado ideal para cada situação. Falarei sobre dois deles hoje.

Duas das principais formas de cuidado são o cuidado substitutivo e o cuidado responsabilizador. Ambos extremamente importantes e necessários no desenvolvimento humano. Porém, potencialmente nocivos se oferecidos nos momentos errados.

Cuidado substitutivo é quando literalmente substituímos o outro em alguma tarefa ou escolha. É o cuidado da dependência. Podemos logo pensar nas relações parentais para exemplificar. Uma criança que ainda não consegue comer sozinha, por exemplo, precisa que alguém a substitua no ato de levar a comida à boca. Os pais ou parentes, geralmente, agem, tomam decisões e fazem escolhas por seus filhos, substituindo-os. O cuidado substitutivo é necessário, fortalecedor e extremamente importante para a vida humana.

Já o cuidado responsabilizador é quando conseguimos acolher, acompanhar, caminhar junto, porém sempre responsabilizando o outro pelas suas escolhas e ações. Este é o cuidado que faz com que o outro cresça pessoalmente e tenha autonomia.

Falando em desenvolvimento humano nas relações parentais, em dado momento, portanto - e sempre que possível, o ideal é que o cuidado substitutivo seja trocado pelo cuidado responsabilizador. Permitindo, assim, que as crianças comecem a entender as próprias escolhas e suas consequências. Essa troca é (ou deveria ser) feita naturalmente na maior parte das vezes. 

Porém, cuidar responsabilizando o outro geralmente é mais angustiante e trabalhoso, pois tira o cuidador do controle. E é só quando entendemos que não temos controle sobre o outro que conseguimos oferecer o cuidado que faz crescer, que gera autonomia e independência. 

Os exemplos das relações parentais dados aqui foram para facilitar o entendimento. Mas imagino que você tenha conseguido ir além, pensar em outras relações em sua vida e no cuidado que você tem com as pessoas. 

Minha proposta é que você possa, então, refletir sobre isso. Será que você consegue sair da posição de controle para cuidar dos outros de uma forma que gere autonomia e, realmente, fortaleça? Ou será que muitas vezes você substitui os outros nas escolhas, gerando dependência em momentos em que ela não é necessária? Sempre é tempo de compreender suas atitudes e tentar mudar o que não agrada ou faz sentido.

Prontinho! Agora as novidades irão até você ;)