Moda consciente e moda sustentável: existe diferença? – utopiar

Moda consciente e moda sustentável: existe diferença?

Tudo o que consumimos chega às nossas mãos com uma história. O mesmo acontece com todas as peças de roupa que compramos e escolhemos vestir.

A moda pode ser uma forma de expressar nossos gostos e personalidade, mas devemos ter consciência de que ela não é apenas um fenômeno individual. Seu processo de criação envolve uma série de agentes, fatores e processos que faz com que a moda seja, ao mesmo tempo, um fenômeno individual e social.

Com uma crescente necessidade de cuidarmos mais de nós mesmos e do mundo em que vivemos – e do mundo que queremos construir essa percepção está ficando mais clara para todos nós. 

Com maior consciência do espaço que ocupamos no mundo, estamos entendendo que, por meio de nossas escolhas, podemos atuar como agentes transformadores da sociedade! Isso é possível de várias formas, inclusive por meio da moda e (acredite!) do consumo.

Ao vivermos esse processo de ressignificação do consumo e da moda, dois conceitos têm sido bastante discutidos: moda consciente e moda sustentável. Apesar de complementares, eles são dois conceitos distintos e muitas vezes se confundem.

Vamos compreender quais as diferenças entre eles?

 

Gola da camiseta de algodão orgânico com o bordado "A vida é um ciclo contínuo de términos e inícios"

Camiseta bordada "A vida é um ciclo"

 

Moda consciente

Quando compramos uma peça de roupa, estamos tendo acesso ao produto final de toda uma cadeia de produção. Muitas vezes, não temos ideia de onde aquela roupa veio, quem a produziu e sob que condições, de onde veio a fibra que serviu de base para sua produção.... compramos sem saber, de fato, o que estamos comprando, o que estamos apoiando. Compramos sem saber a história por trás daquela roupa.

A moda consciente vem para mudar isso: é sobre comprar consciente do produto que está sendo escolhido. Estamos buscando entender a responsabilidade de todos na sociedade e nosso papel como atores sociais. Estamos passando a compreender que podemos fazer escolhas e optar por produtos que não apenas cumpram seu papel como mercadorias, mas que agreguem valor social para o consumidor, para a própria marca e para a sociedade. Produtos que tenham significado, que provoquem diálogo e que construam valor.

Assim, o consumidor pode manifestar nas roupas que escolhe vestir não apenas aspectos individuais, mas a sua preocupação com questões ambientais e sociais que envolvem a produção daquela peça.

Ao comprar uma roupa, o consumidor consciente vai buscar saber mais sobre as condições em que ela foi produzida e a real necessidade de consumi-la. Ele vai se perguntar se aquela roupa foi feita com mão de obra que recebeu remuneração justa e condições dignas de trabalho. Se a sua matéria-prima foi extraída de forma sustentável. Se as etapas de produção causaram o menor impacto ambiental possível. Se esta será uma peça de roupa durável, de qualidade, ou “descartável”, como acontece com as peças de produção em massa das fast fashion.

Afinal, as mercadorias que consumimos fazem parte de um sistema de significações que nos constitui como indivíduos. A partir dele ocupamos nosso espaço no todo que é a sociedade. E podemos, sim, ser agentes de transformação através do ato do consumo.

 

Detalhe da manga bordada da nossa camiseta branca de algodão orgânico. Frase bordada: "Calma... tudo tem seu tempo" sublinhada com flores em lilás

Camiseta bordada "Calma, tudo tem seu tempo"

 

Moda sustentável

Ao falarmos em moda sustentável, estamos falando no processo de produção das roupas, a forma com que esse ciclo acontece e as consequências que traz para o meio ambiente.

A moda sustentável leva em consideração aspectos sociais, econômicos e ambientais. Valoriza as formas pelas quais as roupas são produzidas, de modo que não causem impacto ambiental, ou que, ao menos, gerem o menor impacto possível. Além disso, esse conceito engloba a consciência de consumir peças duráveis e que possam ter um período longo de uso.

Isso é o contrário do que vemos nas fast fashion, baseada em produtos com ciclos de vida curtos. Esse conceito exalta uma moda descartável e o próprio consumismo.  Dentro dessa ideia, devemos comprar uma roupa “da moda” e usá-la por pouco tempo, pois rapidamente outras peças tomarão o seu lugar. A produção rápida e barata é, muitas vezes, resultado da fabricação feita em países onde a mão de obra é subvalorizada, em que existe pouco controle com relação aos direitos trabalhistas e as condições de trabalho oferecidas aos trabalhadores.

Quando falamos em moda sustentável, falamos em uma moda baseada no respeito e na preservação ao meio ambiente em todas as etapas de sua produção. Empresas que fazem moda sustentável buscam reduzir ao máximo a quantidade de produtos químicos utilizados. Há um maior cuidado com relação aos poluentes resultantes da fabricação de seus produtos, a maneira como eles são devolvidos à natureza e a forma como ocorre a extração das matérias-primas utilizadas. 

É possível fazer moda utilizando métodos que poluam menos e causem menos prejuízo ao meio ambiente. O uso de fibras orgânica e tecidos naturais, como lã, seda e algodão, que não precisam de tanta água e produtos químicos em sua produção, é um exemplo. O uso de materiais e fibras reciclados, produtos biodegradáveis, corantes naturais, e a cautela no uso dos recursos hídricos empregados são outros exemplos.

 

Modelo branca sorridente vestindo camiseta branca de algodão orgânico bordada segurando um bule de chá na cabeça

Camiseta bordada "Não me apequene"

 

Qual é a história que você quer vestir?

Na utopiar, moda consciente e moda sustentável são conceitos nos quais acreditamos e os quais aplicamos na prática. Aqui, responsabilidade social e responsabilidade ambiental andam junto com a moda.

Cada peça de roupa da utopiar representa uma trajetória de superação e ressignificação de histórias. Elas são produzidas em parceria com mulheres que estão superando a situação de violência doméstica em casas abrigo e centros de defesa. Ao terem a autoestima resgatada e gerarem renda, essas mulheres passam a ter mais liberdade e poder para bancar suas próprias decisões.

Nossas roupas transformam vidas. São fabricadas respeitando a natureza e todas as pessoas envolvidas em cada uma das etapas de produção. Tanto os processos quanto as matérias-primas que escolhemos são pautados pela sustentabilidade, pelo respeito ao meio ambiente e pela valorização da mão-de-obra envolvida.

Na utopiar temos o cuidado de garantir que toda nossa rede se beneficie pelo trabalho realizado, pagando valores justos de mercado aos nossos fornecedores e verificando suas condições de trabalho. Na medida do possível nossas escolhas são feitas a partir de processos e matérias-primas regidos pelos princípios da sustentabilidade e da economia circular.

Esta é a moda que acreditamos e que queremos vestir. E você?

 

Obrigada! :)