Minha história não é tão facil. Eu não sofri violência física, mas sofri violência psicológica. Eu perdi minha mãe com 11 anos, e nunca aceitei muito bem essa situação. Pra fugir de uma situação em que eu tinha que cuidar de meus irmãos e um pai doente, eu me casei com 16 anos. Fiquei 20 anos casada e tive 3 filhos. No começo ele era um homem muito bom, um super pai, eu só fui saber quem ele era depois que eu me mudei com ele. Tudo mudou quando a minha pequena nasceu. A minha filha pequena tem olhos bem puxados. Eu tenho descendência indígena, então ela acabou puxando alguns destes traços. E ele, por algum motivo, rejeitou a minha filha. Isso me machucou demais.

Pra ele, eu não era mais uma pessoa. Eu era alguém que estava ali pra servir e cuidar dos filhos. Com o tempo eu me isolei, não saía mais da cama, não abria a janela. E ele falava que era frescura. Falava “Olha aí, seus filhos todos pra cuidar e você deitada”. Ele não aceitava minha situação. Ele não me ajudou, a única coisa que ele fez foi me rejeitar. Uma pessoa que passou 20 anos comigo não conseguia me ajudar em um momento desses. Ele dizia que eu estava maluca. Quem cuidava de mim era meu filho de 12 anos e quem cuidava da minha filha era ele também. Eu estava em depressão profunda e sofria alguns surtos.

No meu último surto, a família dele começou a xingar e humilhar a mim e minha filha. Nos meus surtos, todos me olhavam, todos me julgavam, mas ninguém soube me entender, eu precisava é de ajuda. O único a me estender a mão foi meu irmão, que cuidou de mim por 45 dias que eu não levantei da cama. Nisso, eu descobri que meu ex estava me traindo com uma pessoa mais nova, e por isso que me rejeitava. Ele chegou a falar pra mim “você nunca entendeu que eu sou muito bonito pra você”. Ele ligava pro meu irmão quando estava cuidando de mim e perguntava “e aí, ela tá dando trabalho?” e meu irmão respondeu “isso é uma doença. Depressão é uma doença, não é uma frescura, e você não soube entender ela”.

Depois dos 45 dias que eu fui cuidada, eu consegui levantar e ir cuidar dos meus filhos. A parte mais difícil de todas é essa, levantar da cama de manhã. Mas graças a Deus hoje eu consigo arranjar motivos pra sair da cama. Depois que ele foi embora, eu comecei a sorrir de novo e meus filhos também. Eu tô aqui com a utopiar faz um mês. Hoje, como era dia de oficina, foi um dia fácil pra eu levantar da cama. Aqui nós conversamos, nós rimos e converso com outras mulheres que também passaram por isso.

Como plantar as sementes?

1.  Plante as sementes em um solo de alta drenagem.

Quer você tenha trazido sementes ou as colhido a partir de um cacto já existente, é importante plantá-las em recipientes rasos e limpos contendo solo adequado. Umidifique o solo profundamente antes do plantio, mas não permita o acúmulo de água. A seguir, espalhe as sementes pelo topo do solo (sem enterrá-las). Finalmente, cubra lentamente as sementes com uma camada finíssima de solo ou areia. Sementes de cactos têm apenas uma pequena quantidade de energia armazenada e, se plantadas muito profundamente, não alcançarão a superfície antes de esgotá-la.

  • É importante usar um solo de alta drenagem para plantar o cacto, em especial se você estiver lidando com uma variedade desértica. Uma vez que cactos do deserto não estão acostumados a receber grandes quantias de água em seu habitat natural, podem estar propensos a doenças, se a umidade no solo não for bem drenada. Experimente usar uma mescla envasada de alta qualidade com pedra-pomes ou granito, para maior drenagem.
  • Se o solo utilizado para o plantio não houver sido pasteurizado (possivelmente indicado na embalagem), você pode considerar aquecê-lo no forno a aproximadamente 150 °C por meia hora. Isso matará a quaisquer pestes ou patógenos no solo.

 

2.  Cubra o recipiente e exponha-o à luz solar.

Uma vez que você tenha umidificado o óleo e plantado as sementes de cacto, cubra o recipiente com tampa transparente (de material plástico, por exemplo) e coloque-o em um local em que as sementes receberão uma boa quantia de sol — uma janela ensolarada é um bom local. A luz solar não deve ser intensa e constante, mas deve ser forte por pelo menos algumas horas todos os dias. A tampa transparente reterá a umidade no recipiente à medida que o cacto começa a brotar, ainda permitindo que a luz o alcance.

  • Seja paciente durante a germinação de seu cacto. Dependendo da espécie, a germinação pode levar de diversas semanas a vários meses.
  • Cactos tropicais estão acostumados ao ambiente de sombra que existe sob a cúpula arbórea da selva e, por isso, geralmente requerem menos sol do que cactos do deserto. Normalmente, pode ser suficiente cultivar um cacto tropical em um local bastante iluminado que não receba luz solar direta. Por exemplo, vasos suspensos sob um toldo são um excelente local para cactos tropicais.

3.  Mantenha cactos tropicais em temperatura constante e morna.

Embora cactos do deserto, em seu ambiente natural, sejam expostos rotineiramente a variações extremas de temperatura (do extremamente quente, durante o dia, ao extremamente frio, durante a noite), cactos tropicais preferem um reparador e consistente clima morno. Logo, é boa ideia cultivar cactos tropicais em locais onde não receberão luz solar direta e intensa durante o dia ou muito frui pela noite. Tente manter cactos tropicais entre as temperaturas de 21 a 24 °C — estufas são ótimas para isso.

  • Se você não vive nos trópicos, provavelmente precisará cultivar os seus cactos tropicais dentro de casa, onde as temperaturas e o acesso à luz solar é muito mais fácil de controlar.

4.  Quando os primeiros espinhos aparecerem, permita que a planta respire.

Nas semanas seguintes ao plantio de suas novas sementes de cacto, os brotos começarão a germinar. Cactos normalmente crescem muito lentamente, de modo que isso pode levar um mês ou mais. Eventualmente, você poderá ver o aparecimento inicial dos espinhos de seu cacto. Quando isso acontecer, comece dar a ele mais espaço para respirar, removendo a cobertura transparente durante o dia. À medida que o cacto cresce, você pode passar a deixá-lo sem cobertura por maiores períodos de tempo, até vê-lo bem estabelecido e sem a necessidade de ser coberto.

  • Vale notar, no entanto, que isso aumentará a taxa à qual a água evaporará do solo. Isso significa que você terá que começar a regar. Tente fazê-lo cuidadosamente — não deixe que o solo se seque completamente, mas jamais deixe-o acumular água devido à rega excessiva.
  • Note que muitos cactos tropicais não terão espinhos e que, nesse caso, simplesmente é necessário remover a tampa uma vez que os brotos tenham saído do solo.

Fonte: WikiHow

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *