Shibori é uma tradicional arte japonesa desenvolvida para tingir tecidos naturais. Ela reúne diversas técnicas artesanais que criam estampas únicas através de dobraduras, amarras, alinhavos e prensas. Estes mecanismos impedem a penetração do tingimento em todo o tecido, formando assim inúmeras padronagens.

Na utopiar, ensinamos várias técnicas de shibori para mulheres que estão superando a situação de violência doméstica. Desta forma, elas aprendem novos trabalhos manuais (o que contribui para o resgate da auto-estima) e geram renda para bancar suas próprias decisões.

Conheça a seguir nosso processo de produção:

  1. Definição do produto: qual técnica de shibori utilizaremos, em qual tamanho, será localizada ou ocupará o lenço inteiro, qual será a cor do tingimento etc. 
  2. Projeto: Detalhamos as medidas a serem adotadas, espaçamento, quantidade de voltas da linha, etc. Também providenciamos os materiais necessários. 
  3. Oficina: Todas as semanas nos reunimos com as mulheres na Associação Fala Mulher e ensinamos os novos projetos. Fazemos uma peça juntas para elas aprenderem a técnica e deixamos os materiais para que possam fazer a produção durante os dias seguintes. 
  4. Tingimento e lavagem das peças. 
  5. Controle de qualidade. 
  6. Passar, dobrar e embalar. 
  7. Enviar para quem nos apoia e utopia com a gente!

É verdade que trabalhar com shibori aumenta bastante a complexidade do produto. Mas gostamos tanto dessa técnica e fazemos com tanto carinho que escolhemos seguir em frente desta forma: buscando novas inspirações, trocando conhecimento e fazendo peças que, assim como nós, são únicas e contam histórias.

Seguindo nosso compromisso com a transparência, vamos dividir mais etapas do nosso processo de produção por aqui e ensinar técnicas de shibori para você aplicar em casa. Aproveitamos também para dividir algumas dicas de quem ensina shibori e dá aulas presenciais para quem quer se profissionalizar no assunto:

Etno Botânica Fizemos os cursos de shibori com índigo vegetal e o de tingimento vegetal no estúdio em São Paulo. Recentemente começaram a oferecer cursos em Itamonte, onde eles plantam índigo, mas não estivemos por lá.

Tati Polo Não fizemos o curso dela, mas quem fez super recomenda. Além de gostarem muito do curso, também elogiam o apoio que ela dá para quem se aventura depois.

Flávia Aranha Além de serem ministrados por uma das maiores referências em tingimento vegetal, os cursos acontecem em um lugar incrível: o jardim da loja dela, na Vila Madalena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *